Páginas

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Cemitério Municipal de São João - Humberto Barata


No dia 30 de abril de 2012, durante a 1ª Bienal do Livro Amazonas, no estande da Secretaria de Cultura, foi lançado o livro do arquiteto e pesquisador do patrimônio Humberto Barata Neto. Mais de quarenta livros foram lançados pela Secretaria de Cultura, durante a Bienal. Com trinta e nove páginas e fotos em preto e branco, apresenta breve histórico do cemitério, levantamento quantitativo e informações técnicas. O livro tem apresentação do próprio secretário de cultura Robério Braga e segue abaixo transcrito, como uma viagem inicial à pesquisa que foi transformada em livro.

"Provocado que fui pelo arquiteto e pesquisador Humberto Barata Neto, de tradição de livreiros importantes de Manaus, sobre a arte no cemitério João Batista, recuperei de memória a leitura antiga de livro do professor Clarival do Prado Valadares sobre arte nos cemitérios brasileiros e as muitas conversas que tive com meu pai, jornalista e líder sindical Lourenço da Silva Braga sobre a arte reunida na capital amazonense por ocasião do período áureo da borracha.

Trata-se do cemitério mais antigo em funcionamento, e herdeiro, por assim dizer, de muitas criptas originárias do cemitério de São José que ficava diante da praça da Saudade, a mesma cujo nome oficial é "Cinco de Setembro" e que foi recentemente restaurada atendendo a projeto que desenvolvemos na Secretaria de Cultura do Estado.

Antes de Humberto, Otoni Mesquita havia coordenado pesquisa e feito levantamento fotográfico no cemitério para identificar peças de arte, muitas delas importadas da Europa, e ali depositadas em nome da saudade e como homenagem aos falecidos.

A publicação que ora se faz não encerra este projeto. Vamos continuá-lo em pelo menos duas etapas mais: registro aerofotogramétrico das peças de arte; e, posterior reabilitação, claro que com a devida permissão das famílias envolvidas, ou, se for o caso, mediante ato legal permissivo. O mapeamento está feito e o Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Cultura e particularmente de seu Departamento de Patrimônio Histórico, incorpora importante trabalho de pesquisa e estudo de Humberto Barata, por méritos que lhe cabem e não podem deixar de ser proclamados.

E há peças de pedra e de mármore de caráter histórico, como as que homenageiam políticos, intelectuais, comerciantes, senhoras, santos populares, mártires que o povo venera, enfim, a razão de ser para este registro está no valor artístico da peça. Por isso a escolha. E são centenas. Verdadeira galeria de arte a céu aberto de que nos fala o autor logo na primeira página do trabalho, em que sobressaem técnicas e práticas construtivas nem sempre bem conhecidas dos dias correntes.

As Edições Governo do Estado são enriquecidas com trabalhos deste teor. Este vai servir para despertar novo interesse em artistas e pesquisadores sobre tais peças silenciosamente contidas no território do cemitério e que passam a ser mais conhecidas com este estudo que é apenas o começo de longo trabalho."
Robério Braga


Página interna do livro.

Página interna do livro.

Eu e Humberto Barata no dia do lançamento do livro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário