Páginas

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013


Márcio Souza afirma que antiga administração não ouvia o Conselho

O escritor é o novo presidente do Conselho Municipal de Política Cultural e tem como vice o poeta Celdo Braga
[ i ]O escritor Márcio Souza é o novo presidente do Conselho Municipal de Política Cultural (Concultura). Foto: Alberto César Araújo 28/04/2004
Manaus - Novo presidente do Conselho Municipal de Política Cultural (Concultura), o escritor Márcio Souza falou ao Portal D24AM sobre o desafio de assumir o órgão. Tendo como vice o poeta Celdo Braga, ele visitou, ainda na terça (15), a sede da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (ManausCulT), onde se reuniu com a presidente Inês Daou.
Como você analisa essa oportunidade?
Aceitei presidi-lo (o conselho), mas acredito que sozinho não tenho capacidade de ação. Com a chegada do novo prefeito, Arthur Neto, que encolheu o número de secretarias, achamos por bem conhecer a ManausCulT e sua presidente para definirmos uma agenda de ações, examinar a lei, entre outras atividades”.
O que encontrou do antigo conselho?
“Ainda precisamos sentar com mais calma para avaliar a situação, mas vejo que fizeram um bom trabalho. O Concultura, enquanto órgão consultivo e não executivo, cumpriu seu papel. O problema é que não foi ouvido pela administração passada. Tal administração, aliás, foi um desastre”.
Há algum plano já definido?
“Não há nada planejado ainda. Acabamos de chegar e o primeiro passo foi definir esse cronograma. Vamos ouvir o prefeito e verificar as sugestões que ele tem para o Plano Municipal de Cultura (PMC), que foi algo muito bem conduzido pelo antigo conselho. Mais que isso, nos faremos ser ouvidos para que o órgão seja efetivamente atuante”.
Haverá reunião com o prefeito então?
“Não, quem tratará disso é Inês Daou, presidente da ManausCulT, que é a secretaria à qual somos vinculados. Temos um papel consultivo. Não realizamos shows, nem contratamos artistas, discutimos e propomos políticas voltadas para a área de cultura. Somos uma espécie de assessoria, o que também existe em outras secretarias. Representamos a sociedade civil organizada na cultura”.
E o que prevê esse cronograma?
“Primeiramente, vamos sair do prédio onde fica a ManausCulT para termos um local próprio para nossas reuniões. Durante esse período de transição, vamos convocar membros das diversas categorias culturais da sociedade, como teatro, música, cinema etc. Serão oito membros da sociedade civil e oito do próprio governo. O processo é democrático, contando com a participação do prefeito somente na nomeação. A ideia é que procedamos com isso após o carnaval, que é quando o ano realmente começa. Também não teremos interferência nessa seleção”.

D24, 16 de janeiro de 2013.
http://www.d24am.com/plus/literatura/marcio-souza-afirma-que-antiga-administracao-nao-ouvia-o-conselho/78264 

Nenhum comentário:

Postar um comentário