Páginas

sábado, 27 de julho de 2013

O retorno do bondinho em Manaus - projeto ainda sem data para conclusão

Há tempos a mídia local não falava sobre o Programa Cartão Postal, do Governo do Estado que prevê a revitalização de uma área do Centro Histórico de Manaus. Nesta matéria, algumas informações sobre o andamento deste programa e o processo referente ao retorno do bonde à Manaus.

***********
Portal Amazônia
***********




CIDADES
27/07/2013
17h02
por Izinha Toscano - jornalismo@portalamazonia.com

Volta de bonde elétrico em Manaus custará quase R$ 2 milhões

Projeto é de 2011 e ainda está sem data para sair do papel; será apenas um bonde com 10 assentos

MANAUS - Anunciada inicialmente em dezembro de 2011, a reativação de um bonde elétrico em Manaus ainda está sem data, mas tem custo: R$ 1,950 milhão. O bonde faria parte da quarta etapa do programa 'Cartão Postal', da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) do Amazonas, e seria concluído em outubro de 2012.
Modelo do bonde de Manaus será de tamanho similar ao que circula em San Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Reprodução/ ShutterstockModelo do bonde de Manaus será de tamanho similar ao que circula em San Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Reprodução/ Shutterstock
AnteriorSiguiente
Modelo do bonde de Manaus será de tamanho similar ao que circula em San Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Reprodução/ Shutterstock
Modelo de bonde que já circulou em Manaus. Foto: Reprodução/Rede Amazônica
Bonde de Manaus terá dez assentos e capacidade para 40 pessoas - 30 usuários ficarão sem bancos. Foto: Reprodução/ Shutterstock
Na época do anúncio da reativação, o governador do Estado Omar Aziz afirmou que “os turistas vão descer dos navios e embarcar no bonde até o Teatro Amazonas”. No entanto, de acordo com o projeto básico, o bonde circulará bem longe do Porto de Manaus. O trajeto começa na Rua Costa Azevedo, segue pela Rua Dez de Julho e Avenida Eduardo Ribeiro até a Rua 24 de Maio.
O veículo é bidirecional: quando chegar ao ponto final, retorna para o início pelo mesmo caminho, mas no sentido contrário. Apesar de ter apenas dez assentos, a capacidade do veículo é de 40 pessoas - pelo menos é o que garantiu a SEC à reportagem do Portal Amazônia. a tarifa também está indefinida, mas deve ser acima dos atuais R$ 2,75 do transporte coletivo da cidade, por se tratar de um veículo turístico.
O projeto de instalação do bonde inclui, ainda, construção de rede aérea, subestação retificadora, sinalização, estação de passageiros, garagem e oficina de manutenção do veículo. As especificações do bonde estão de acordo com características históricas dos veículos que já circularam na cidade. A condução turística deverá medir 9,35 metros de cumprimento, 2,35 metros de largura e 3,40 metros de altura.
A SEC informou que a empresa ZGS Tecnologia Ltda, do Rio de Janeiro, venceu a licitação para elaboração do projeto executivo do bonde, ao custo de R$ 450 mil. O projeto ficará pronto até 30 de outubro deste ano.
Uma nova licitação, desta vez para a execução da obra em si será realizada, mas ainda está sem data definida. O valor real do bonde será conhecido após a conclusão desta segunda licitação. Entretanto, a SEC prevê que a fabricação do bonde custará em torno de R$ 1,5 milhão. Somado ao preço do projeto executivo, o único bonde que a cidade custará R$ 1,950 milhão.
Cartão Postal
O programa Cartão Postal contempla a revitalização de parte do Centro de Manaus e foi orçado em R$ 11 milhões. A primeira etapa consistia no restauro da praça Congresso, concluída em dezembro de 2012. A segunda previa a reconstituição das fachadas do entorno da praça e, em seguida, das fachadas da Avenida Eduardo Ribeiro, no trecho entre as ruas Monsenhor Coutinho e 24 de Maio. Por meio de nota, a SEC comunicou que esta fase está "quase finalizada e que é composta pelo Teatro Amazonas, Palácio da Justiça e Ideal Clube".
O programa também inclui urbanização do entorno da mesma praça, com pavimentação, calçamento, rede elétrica subterrânea, instalações diversas e equipamentos urbanos. "Essa terceira fase - associada com a Amazonas Energia e a Prefeitura de Manaus - corresponde ao rebaixamento da rede elétrica daquela área, que vai se transformar em rede subterrânea, cujo projeto foi concluído pela Amazonas Energia", relatou a secretaria, em nota. "A conclusão depende da retirada dos vendedores ambulantes, a ser realizada pela Prefeitura de Manaus", completou o órgão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário