Páginas

domingo, 8 de maio de 2016

MINHA MÃE, UMA COLORISTA - Sobre a paciência para colorir livros de colorir


Livros de colorir

Quem lembra da chegada às livrarias de uma infinidade de livros de colorir? Eles começaram com o Jardim Secreto, depois Floresta Encantada... E foram chegando muitos outros. Tornou-se um sucesso de vendas! As livrarias exibiam os livros à entrada, junto com lápis de cor. Um atrativo para as crianças e para quem buscava terapia.

Comprei o Jardim Secreto porque achei muito bonito! Comecei a pintar a contra-capa, depois pintei a primeira folha, com meu nome. E desisti de pintar, depois de ter pintado apenas duas páginas. Como era cansativo, pra mim. Definitivamente eu não tinha paciência.

Resolvi levar para minha irmã e minha sobrinha pintarem uma página. E a minha mãe também se interessou. Estranhamos essa manifestação, porque mami não tinha passado pela experiência de desenhar ou colorir nada. Não frequentou escola, nunca a vi com lápis de cor nas mãos. E aí deu-se a mágica! Enquanto as outras pintaram um desenho, mami coloriu todo o livro. Descobriu uma nova habilidade.

Página dupla do livro Jardim Secreto, Johanna Basford.


Livros de colorir precisam de cores igualmente diferentes.
 Aos poucos, com a prática, ela foi aprendendo a selecionar os lápis de cor. Diferenciando os lápis que deslizam melhor nos diferentes tipos de papel. Aprimorando as pontas para os detalhes mais precisos.

Página dupla do livro Floresta Encantada, Johanna Basford.
 Depois de terminar o primeiro livro, comprei em seguida o Floresta Encantada, e ela foi pintando. E depois outro, e mais outro. Fomos à livraria escolher novos livro de colorir. Comprei lápis de cor e o potinho para guardar os lápis. Depois dos afazeres domésticos, mami sentava e ia pintar. Colocava os óculos, abria o livro, ia pegando os lápis e dando cores às formas desenhadas.

Livro de colorir  
 Os desenhos de árvores, flores, pássaros, borboletas e outros animais ela ficava lembrando das cores do seu mundo de infância, vivido no interior do Acre, em uma cidadezinha chamada Tarauacá. Várias vezes comentou sobre a cor das penas dos pássaros e a diferença entre os verdes das árvores. Uma percepção que não se perdeu na memória de tempos distantes.

O livro Inspiração Amazônia, vem com folhas destacáveis.


Livros de colorir - página dupla do livro Aves do Paraíso, Editora Alaúde.
 Quando questionada sobre como escolhe suas cores ela simplesmente responde: Eu vou pegando e vou pintando! E assim ela passa horas do seu dia. E diz que nem vê o tempo passar. Consegue pintar um desenho extremamente complexo e detalhado, sem perder os espaços, em apenas um dia. Fica contente ao ver seu trabalho concluído.


Página do livro Philia para colorir, ilustrações de Thais Linhares.

Mami em seu ofício de colorir. 
Minha mãe tem 65 anos e adora colorir livros de colorir! Até a data desta postagem ela já coloriu 7 livros e está concluindo mais um.

Página dupla do livro Floresta Encantada, Johanna Basford.
Esse é o meu preferido! Um dos dragões em página dupla. Ela pintou os dois. Sem esquecer uma folha, uma escama, um detalhe. Uma  paciência e uma habilidade que eu não tenho. Minha mãe descobriu esse prazer nos livros de colorir. E que venham outros livros e outros prazeres! E muitos anos coloridos pela frente! 

Um comentário:

  1. essa história é muito interessante, com certeza irá despertar o desejo em outras pessoas, parabéns pela mãe e pela condução que a levou a escolher uma área magnífica para desenvolver habilidades surpreendentes. ótimo trabalho

    ResponderExcluir