Páginas

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Reforma da Praça da Matriz - no centro do Centro Histórico e isolada dos roteiros de visita

A matéria chama a atenção para o estado em que se encontra a Praça da Matriz, no coração do Centro Histórico de Manaus, nas proximidades do Porto e marcando o entorno da Igreja Matriz da cidade. Uma situação que se estende há décadas. Pelas minhas pesquisas, desde o final dos anos 1990, essa praça já é considerada um espaço marginalizado. Com o isolamento físico agora pela colocação do tapume, o sentido simbólico desse isolamento se torna mais visível, principalmente pela movimentação da cidade nesse período de realização de jogos da Copa do Mundo.

Há duas semanas, visitei a Igreja da Matriz e vi alguma movimentação de "reforma": marcas de pintura, móveis fora do lugar, andaimes... Era um domingo e a igreja estava relativamente cheia para a missa da manhã. Fiquei surpresa! Sim, os fiéis continuam frequentando esse espaço. Numa próxima postagem, comentarei sobre essa visita que incluiu a vista da torre da Matriz. Por enquanto, segue a matéria do Jornal A Crítica e os comentários de alguns leitores do jornal.




Reforma da Praça da Matriz, um dos principais cartões postais de Manaus, fica de fora da Copa

Local que concentra a memória de Manaus está isolada com muro. Os atrasos nas obras revitalização do Centro deixou alguns espaços fora dos roteiros turísticos do Mundial, ao contrário das promessas feitas pela gestão municipal

    Isolamento da Praça da Matriz prejudica o turismo e torna a área mais vulnerável à ação de criminosos
    Isolamento da Praça da Matriz prejudica o turismo e torna a área mais vulnerável à ação de criminosos (J. Renato Queiroz (março/2014))
    Nos últimos meses, uma imagem vem chamando a atenção das pessoas que passam pelas proximidades do Relógio Municipal, no Centro: uma faixa verde, de grande extensão, isola a área da Praça da Matriz, onde fica a famosa igreja, do resto da região.
    A imagem é simbólica por representar o isolamento, como um todo, do Centro de Manaus dos roteiros turísticos para a Copa do Mundo. Local que concentra boa parte da memória da cidade, o Centro foi tomado por aglomerações de ambulantes, e sua paisagem em nada lembra a região arborizada e de belos casarões ostentada até a década de 1970. Agora, em plena semana da Copa, a área é incapaz de oferecer qualquer atrativo para a visitação.
    O problema vem se acumulando ao longo de gestões sucessivas de prefeitos de Manaus e, com exceção de obras pontuais, como a revitalização do Teatro Amazonas, do Largo de São Sebastião e outros prédios históricos, nada foi feito. Esse panorama, que perdurou por mais de três décadas, pareceu enfim estar próximo de uma mudança há dois anos, com a campanha vitoriosa do prefeito Artur Neto (PSDB-AM), onde foi apresentado, como um de seus carros-chefes para a eleição e a Copa, um plano de revitalização da região.
    Até esta segunda-feira (9), porém, as únicas mudanças visíveis no Centro são a remoção dos camelôs das avenidas 7 de Setembro e Eduardo Ribeiro, no coração da área. Do programa de obras apresentado em agosto do ano passado, que incluía a recriação do aspecto original da Praça da Matriz, incluindo a Praça do Relógio, que era separada da Matriz por uma rua paralela à Av. Eduardo Ribeiro, a restauração das praças Dom Pedro II, Tenreiro Aranha, Adalberto Vale e dos Remédios, do Pavilhão Universal (na praça Tenreiro Aranha), da antiga sede da Câmara Municipal e do Museu do Homem do Norte, só se viu a colocação de tapumes e faixas de isolamento na Matriz, o que criou um problema adicional: o isolamento da igreja de mesmo nome, considerada a principal da cidade e que recebe centenas de devotos diários, além de turistas. O entorno ainda sofre com a cheia do Rio Negro, que já alaga as ruas.
    O problema, segundo a prefeitura, foi a ausência dos recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas, do Governo Federal, que previa o repasse de cerca de 7 milhões de reais para financiar a revitalização dos prédios do Centro histórico. A falta do dinheiro criou uma situação de indefinição no local, que também acumula lixo, desagradando moradores. A retirada provisória dos camelôs, que, segundo projeto da prefeitura, serão remanejados para shoppings populares, custa R$ 18 mil reais mensais ao contribuinte, o preço do espaço utilizado para a sua alocação.
    A reportagem do Portal A CRÍTICA tentou entrar em contato com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) para saber os motivos do atraso nas obras da Matriz, mas não foi possível até a publicação desta matéria. A assessoria do órgão informou, porém, que 94,7% das obras para a Copa foi concluída, restando apenas a entrega das últimas paradas do sistema BRS (Bus Rapid System) e do Complexo Viário 28 de Março. A revitalização do Centro não faz parte das obras da Copa.
    Nova Ponta Negra também precisa de reformas
    O avanço de erosões na orla da segunda etapa do Complexo Turístico da Ponta Negra, na Zona Oeste, preocupa quem costuma frequentar o local para fazer caminhadas ou apenas passear e que teme que um acidente grave possa ocorrer. Quem passa pelo local diariamente alerta que, a cada semana, as erosões estão maiores. A prefeitura informou que já está elaborando um projeto para conter as erosões, que deve ser concluído no próximo verão.
    “Venho caminhar todos os dias aqui nessa na orla e conheço cada centímetro dela. Nos últimos dias notei que está caindo um novo pedaço de barranco todos os dias”, relatou o aposentado Roberto Bonfim, 60, frequentador assíduo do local.
    A professora de educação física Ana Luzia Nascimento de Oliveira, 33, disse temer pela segurança dos pedestres, especialmente durante a noite, uma vez que não há nenhuma placa alertando sobre o perigo de desmoronamento ou mesmo isolando o local.
    “Eu costumo frequentar a Ponta Negra à noite e já estacionei meu carro aqui bem próximo ao barranco, mas não tinha visto a extensão da erosão. Isso aqui está um perigo, especialmente à noite. Tem gente que chega bem próximo dessas erosões, correndo risco, pois não tem ninguém impedindo as pessoas de se aproximarem e a área nem está cercada”, reclamou.
    O industriário Diego Santiago Gomes, 30, cobrou mais cuidado com a manutenção diária da Ponta Negra. “Moro no Tarumã e a praia da Ponta Negra é meu caminho todos os dias. Ela está muito bonita, mas tem que ser cuidada, tem que haver consertos, não apenas varrer, tem que manter a segurança para quem frequenta. Essa erosão só vão resolver quando uma pessoa se acidentar ou quando um carro for engolido” criticou.
    * Com informações da repórter Perla Soares.

    Comentários em ordem cronológica

    TOTAL 8 COMENTÁRIOS

    Santos

    09 jun 14, 11:27 pm (há cerca de 2 dias, 57 horas)
    Muito triste, Manaus uma cidade com uma só direção: a Arena da Amazônia. O prefeito esqueceu que visitantes virão à passeio, às compras e o centro é onde estão a maioria dos hotéis, que por sinal já estão lotados de turistas. Visitar o centro de Manaus hoje se resume " dá uma volta na Eduardo Ribeiro ?! " . Ontem mesmo me deparei com uma cena lamentável, um grupo de turistas( acostumados a usar transporte público eficáz ) estavam esperando ônibus no meio-fio da Getúlio Vargas em frente o Hotel Tajmahal, por que no meio fio?? descobrir em seus comentários que as paradas de ônibus estão escuras, fedorentas e sujas,será que nem as paradas do centro vão receber uma manuntenção ou uma sobra da "maquiagem" que estão fazendo ao redor da arena????

    Santos

    09 jun 14, 11:45 pm (há cerca de 2 dias, 56 horas)
    Vergonha, nem as paradas de ônibus do centro tiveram um manuntenção adequada, o centro já está cheio de visitantes. Ontem um grupo de turisttas ( acostumados a usar transporte público eficáz ) simplismente estavam esperando ônibus no meio-fio da Getúlio Vargas em frente o hotel Tjamahal porque as paradas estavam sujas, fedorentas e escuras, nós que usamos todos os dias sabemos bem o que é isso.Será que não vai sobrar nem um pouco da "maquiagem" que estavam fazendo ao redor da Arena para isso ???....

    Zé do Povo

    10 jun 14, 8:39 am (há cerca de 2 dias, 47 horas)
    Lamentável.
    Existem vários quadriláteros desprezados em nossa cidade. Aliás, tirando o quadrilátero da Arena... E olhe olhe, porque as calçadas da Djalma Batista nunca ficaram prontas! O entorno do Sambródomo ainda tinha resto de carros alegóricos... E assim vai!
    Se a pessoa chega de navio, encontra a linda "Manaus Moderna". SE chega pelo aeroporto, encontra aquela reforma que não acaba na saída da estrada.
    Artur inaugurou o Mercadão e a Ponta Negra. O próximo vai inaugurar as inúmeras obras inacabadas do Arthur.
    É, Manaus! Está difícil!

    shirley salim

    10 jun 14, 9:00 am (há cerca de 2 dias, 47 horas)
    Simplesmente ABSURDO!!!
    Nossas autoridades, principalmente os que estavam envolvidos diretamente com esse evento, devem ir para labotório, para que sejam submetidos a exame de sanidade mental. Não foi só a praça da matriz que ficou de fora, a praça da Igreja dos Remédios, a entrada da cidade via fluvial está um verdadeiro caos. Para onde foi tanto dinheiro ??????????

    pedro ferreira

    10 jun 14, 9:58 am (há cerca de 2 dias, 46 horas)
    O Centro de Manaus é um caos total, o centro histórico é muito bonito mas reforma mesmo ficou somente para o Mercado Municipal e só, o entorno é uma bagunça geral, a rodóviária de Manaus é um lixo só, o porto que deveria ser de primeira qualidade é outro lixo, de fato tanto dinheiro e só temos um estádio moderno, e um aeroporto que há muito tempo precisava ser melhorado, legado mesmo pós copa quase nada, muito triste.

    Zé Cansado

    10 jun 14, 10:17 am (há cerca de 2 dias, 46 horas)
    andar a pé em Manaus da nojo. esgoto correndo na sarjeta, lixo pra todo lado, fedor, as calçadas totalmente irregulares e esburacadas que existem são tomadas por carros (imagine o que passa um cadeirante nessa cidade). poucas faixas e sinal para pedestres. os carros avançam os sinais sem o menor constrangimento pois nao ha fiscalização. e o problema não é so de autoridade nao, a população é a principal culpada. os puxadinhos invadem as calçadas eliminando os passeios publicos. jogam lixo pelas janelas dos carros. lixo nos igarapes. sera que fazem isso dentro das casas deles tambem? Um caos!!! Manaus é a capital mais bagunçada e sem educação do Brasil. Um horror!

    WALCYR

    10 jun 14, 2:56 pm (há cerca de 2 dias, 41 horas)
    MUITO BOA ESSA REPORTAGEM SOBRE A PRAÇA DA MATRIZ REALMENTE A NOSSA IGREJA ESTÁ ABANDONADA,A NOITE PARECE UMA CIDADE FANTASMA EM TORNO DA IGREJA SEM CONTAR OS ASSALTANTES QUE ATERRORIZAM AS PESSOAS NAS PARADAS DE ONIBUS.

    Tida

    10 jun 14, 5:04 pm (há cerca de 2 dias, 39 horas)
    E por onde anda o secretário do Centro, o Sr. Glauco Francesco Luzeiro? O que ele anda fazendo que o Centro, na área do Porto, Terminal da Matriz, está um nojo. Aliás qual a serventia dessa secretaria? Nada para fazer nada! E quem fiscaliza? O povo? O povo paga para que cuidem bem da cidade, mas esse retorno não temos. Isso pode significar que o dinheiro público está sendo mal empregado. Recorremos a quem?

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário